Ontem faltou água

[Este é um texto sobre minha condição mental atual e conter gatilhos de suicídio.]

Um cansaço inexplicável que não passa, me irrita. Meus braços e pernas pesam mais do que o normal. Minhas mãos tremem.

O miado dos gatos me irrita, eles lambem os próprios pelos e o som me incomoda. Parece que todos os sons estão mais altos.

Eu revisito todos os relacionamentos que já tive na vida e odeio visceralmente cada uma dessas pessoas.

Tento listar as coisa que eu costumava amar, na tentativa de encontrar proposito, paixão, uma faísca de qualquer coisa.

Releio coisas que escrevi sobre coisas que amava, e eu podia ser boa.

Passei metade da manhã deitada, incapaz de sair da cama.

Ontem cortaram a água, deixei meu filho tomar banho com a água do filtro de barro. Pareceu o certo a se fazer mesmo que a gente ficasse sem água pra beber. Errei e pedi água pelo Delivery as 23 horas. Parece um micro exemplo das minhas más decisões.

Eu já não sei o que faz pare da minha personalidade e o que é minha mente doente como eu nunca vi. Eu to doente ou com preguiça? Meu filho esta realmente criado e meu trabalho acabou? Eu penso isso mesmo? Se eu estou tão doente porque eu estou consciente. É possivel pensar e agir com coerência no meio de uma crise grave? Será que tudo isso é fruto da minha imaginação? Será que eu estou atuando e essa dor nem existe?

Enquanto eu tento entender e colocar a cabeça pra fora d’água pra respirar alguém me liga, pede entrevista, outro me pede uma indicação, um vídeo, a caixa de e-mail vai lotando.

Interessante o interesse pelo que eu falo sempre quando não é sobre mim, é sobre o tema que alguém vai escolher pra que eu fale. Nesse caso é sempre urgente. no final odo esse conhecimento de mundo adquirido não me serve de nada.

Ouvi num documentário que vi na madrugada um psiquiatra dizendo “A bipolaridade é o câncer da psiquiatria — ela mata” . Alguém deveria deixar isso em destaque no Google, pra que as pessoas entendam que a gente quer desesperadamente melhorar, mas esta num puta lugar sombrio.

Eu sinto que eu to perdendo tudo que eu lutei demais pra conseguir Parece que quando tudo ia finalmente ficar bem eu adoeci de uma forma que eu nem achava que era possivel. É como se meu cérebro funcionasse a milhão, mas meu corpo estivesse morrendo.

Meu filho escuta lo-fi, ao mesmo tempo em que a vizinha toca seu piano. Eu acharia incrível essa coincidência de mundo que faz com que o som combine. Eu acho incrível, bonito, mágico mas não sinto nada. Eu queria poder sentir aquilo que eu consigo racionalizar.

Deixe um Comentário