E eu não me sinto o mesmo

[Este é um texto sobre minha condição mental atual e conter gatilhos de suicídio.]

I know you so well, so well
Darling, I can do better than he can
I’ve been pretty

I know you’re somewhere, somewhere
I’ve been trapped in my mind, girl, just holdin’ on
I don’t wanna pretend we’re somethin’, we’re nothin’
I’ve been stuck thinkin’ ‘bout her, I can’t hold on

Sou bipolar. Estou deprimida. O horror que é colocar essas palavras na tela. 

Mai fácil colocar aqui do que sentar com a família pra bater um papo sobre cada dia que doeu demais e que apesar de amar demais todo mundo, isso não é o suficiente pra não doer. 

Quantas vezes eu estive paralisada sem conseguir explicar o que estava acontecendo, e como tudo é extremamente confuso. Cada comportamento arriscado, cada noite de festa extrema, as paixões, os gastos, a ausência do medo e da more, que do nada vira a unica coisa realmente sedutora. A unica coisa que faria tudo parar e ficar em silêncio. 

Repetir pra mim mesma que eu só sou assim, não tem me convencido disso, eu fico tentando melhorar a qualquer custo e as vezes acho que se eu menir com muito talento, eu também vou acreditar e tudo vola pro lugar. ninguém pergunta e eu não conto. 

I’m in pain, wanna put 10 shots in my brain
I’ve been trippin’ ‘bout some things, can’t change
Suicidal, same time I’m tame

Passei a manhã com muita raiva, pensando em como a gente só fala sobre morrer em setembro. O setembro amarelo, que todo mundo parece disposto a entender e apoiar alguém que esta na merda. 

O apoio vira uma mensagem de vez em quando, com alguma pergunta besta feita só pra dar a sensação de ter feito algo bom pelo mundo. 

Ego é uma merda mesmo. Mas fica bonito na hora de contar pras pessoas “fiz tudo que eu podia”. “ Eu to aqui pra você”, “eu te amo”. E eu faço o que com essas frases prontas? Bebo com água pela manhã até ficar curada?

Eu sempre me arrependo de contar pras pessoas esse aspecto sombrio da minha vida. Invariavelmente as pessoas se cansam e vão embora. Elas nunca entendem que eu não peço absolutamente nada, nem amor, nem companhia, nem uma palavra mentirosa pra que eu me sinta menos horrível. Elas vão quando descobrem que não são o remédio. E elas não suportam não ser esse ser humano superior. 

Picture this, in bed, get a phone call
Girl that you fucked with killed herself
That was this summer and nobody helped
And ever since then, man, I hate myself

Fico pensando se é possivel mesmo ajudar ou estar perto de quem não quer estar vivo. Talvez não dê mesmo. A gente acredito no que as pessoas dizem e fica puto quando percebe que não era sobre realmente querer ajudar.

Eu não gosto de falar de mim. Não gosto de depender de ninguém e tenho um ódio absurdo de pedir ajuda. Acho engraça do que quase todo mundo me diz : Se você precisar de mim , me chama. Acho engraçado por que é contar com o institor de sobrevivência de quem esta deprimido — é engraçado vai, sobreviver não é exatamente a meta. Eu tenho vontade de rir sempre que escuto ou leio isso. 

No fim a gente ta sempre sozinho. Nasce e morre sozinho. E ta tudo bem. Ideal é saber exatamente o que esperar de nós mesmos. 

Mas confesso que eu to muito cansada, e esse cansaço não passa. Não importa o quanto eu durma. A sensação é de que nada esta mudando. É frustrante. 

Acho que hoje eu cansei de reagir. 

I’ll be feelin’ pain, I’ll be feelin’ pain just to hold on
And I don’t feel the same, I’m so numb
I’ll be feelin’ pain, I’ll be feelin’ pain just to hold on
And I don’t feel the same, I’m so numb

Deixe um Comentário