O que você acha?

Eu acho que sinto muito mais a sua falta nos finais de semana. Tava aqui reparando nisso.

Eu fico pensando o que será que você está fazendo, será que tá assistindo alguma coisa legal ou comendo alguma coisa gostosa? Eu sempre espero que sim.

Na minha cabeça seus fins de semana tem sol entrando pela janela, mesmo nos dias frios. Sabe quando bate só um pouquinho de sol no cantinho da sala, de um amarelo desbotado, que não chega exatamente a aquecer, mas deixa tudo mais bonito? Então esse solzinho.

Image for post
Photo by mahdi yousefi from Pexels

Sempre tem musica, dessas que às vezes você compartilha comigo e outras tantas que alguém mostra pra você.

Mesmo sendo fim de semana você ganha rugas de preocupação, são muitos amigos, muitos amores que você finge que não são amores. Muita gente pra cuidar e a impossibilidade de estar perto pra fazer o que você faz de melhor, que é ser amigo lado a lado.

Deve ser cansativo carregar uma armadura, eu sei, também tenho a minha.

Tem finais de semana que sinto falta das histórias que você me conta, sinto falta da nossa risada. Que bom que antes disso tudo começar a gente riu demais.

As vezes sou eu quem gostaria de te contar uma anedota da minha vida no exato momento em que ela acontece. Eu penso na hora “cara, ele iria rir demais disso”. Guardo pra te contar depois.

Outro dia quis te contar sobre os sábados com meu pai. Ele era um cara genial, um intelectual consumido pelo peso de um trabalho que não gostava, mas que ocupou sua vida inteira , até ele adoecer de mágoa. Pois é, mágoa guardada e não viver o que se quer viver, dá cancer. Mas ele era um cara dos livros e da música. Exatamente como eu, com menos romance no meio.

Mas quando éramos pequenos, aos sabados, ele lia e fazia a gente ler entre gargalhadas O dia da Criação, de Vinicius de Moraes. Eu adorava. Era sobre o dia em que Deus fez merda e criou o Homem.

“Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar”

Começava bom e depois ia degringolando.

“Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade
Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
Todos os maridos estão funcionando regularmente
Todas as mulheres estão atentas
Porque hoje é sábado.”

A nossa tarefa era responder “porque hoje é sábado”.

Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado.

Era bom, era delicioso os sábados com meu pai quando ele estava sóbrio. A casa toda cheirava cigarro e jornal.

Não sei porque eu queria te contar essa história. Provavelmente porque em segredo, ele era meu melhor amigo e hoje é você.

Talvez porque hoje seja sábado, e eu sinta uma profunda saudade de ti.

Tomara que isso tudo passe logo pra gente poder rir de perto, fazer fofoca e pensar em questões mais profundas do mundo. Tirar uma série de “o que você acha?” que eu venho anotando pra te perguntar do papel, e debater até cansar tomando uma cerveja num boteco qualquer.

Acordei dolorida de saudade, é isso. Porque hoje é sábado e amanhã é domingo eu sinto falta de você meu amigo. E achei que você precisava saber disso, sobre o quanto é amado de longe.

Você sempre será a melhor conchinha de dentro, que cairia muito bem hoje. Porque hoje é sábado.

Deixe um Comentário