Manhã Dificil

São nove da manhã, e estou acordada desde a seis, um sábado. Faz umas três horas mais ou menos que na tv só passam programas sobre perda de peso, superação, cirurgia Bariátrica, o peso da nação…
Não é a melhor manhã para se estar gorda, não é a melhor manhã pra subir na balança.
Passei duas semanas doente como um cão, trabalhando como uma alucinada, cuidando de pessoas e ganhei 10 quilos.
Não reconheço meu rosto no espelho, pela primeira vez na vida o diabetes me assombra por ter atingido não a mim, a irmã gorda, mas afetou a minha irmã mais magra.
A vida da gente é tão curtinha, eu fico pensando na mulher que eu queria ser e nos porquês de não sê-la.
Enfim, manhã complicada.
—–
Conforme as horas vão passando a ciência do tamanho de alguns desafios vão batendo. Mal consigo chegar tranquila na metade do dia, como imaginar seis meses nesta sintonia estranha?
É como se eu fosse feita em 3, uma certa, uma errada e uma que assiste o debate.

Deixe um Comentário