Grandes Esperanças

Faz tempo que eu não faço a minha lista de resoluções futuras. Hoje confesso que sequer lembro delas. Hoje por acaso surgiu o pensamento nelas, e pensei claro, existe o tempo e a comodidade do não ter o que fazer , logo , posso colocar todos os meus planos em prática sem incômodos [adorei este pensamento iluminado].
Desenvolvi 3 planos , nomeados por letrinhas, como manda o figurino de qualquer boa conspiração ( não que eu esteja conspirando, nada disso). Todos os planos , A, B e C entram em ação agora em fevereiro. Todos os planos são de evolução pessoal, e dependem única e exclusivamente da minha própria pessoa.
Sabem tem várias coisas que eu queria e quero muito, das que eu queria uma boa parte está resolvida e eram mais emergenciais , agora falta o resto e eu preciso me acertar.
Posso contar no momento qual é o plano B. Vamos a ele mas antes um breve prólogo: Desde o ano da glória de 1997 eu tento decidir o que eu quero ser ” quando eu crescer “ e desde essa época eu presto vestibulares e vestibulares pra diversas profissões do tipo : jornalismo, cinema, moda, ciência da computação, gastronomia, meteorologia, biologia, edifícios, designer de moveis , letras e comunicação empresarial .Em alguns eu passei , até fui pra faculdade 2 vezes , moda e letras, mas não rolou de terminar , ou por falta de grana ou por puro saco cheio. Só que definir o que eu realmente queria sempre foi o mais complexo. Depois de 9 anos eu sei o que quero. Muitas dessas carreiras eu escolhi porque tinha que ter um trabalho e acreditava que me formar em alguma coisa me daria um trabalho. Segundo ponto a se considerar, não há mais expectativas familiares (se bem que esta era a mais sossegada de todas as pressões). Terceiro, com o passar dos anos eu queria me formar o mais rápido possível pois eu achava que estaria velha demais para ser uma estagiária , ou estudar no meio do que hoje virou ” a molecada”. Bom hoje eu sei que não tem nada a ver faculdade e emprego e eu posso trabalhar com N coisas sem ter concluído uma faculdade , posso e já o faço, então escolher não depende mais de algo que necessariamente vá encher a minha pança, a família já se conforma plenamente com minhas escolhas bizarras e jamais me torrou mesmo eu é que imaginava perseguições que nunca existiram e o marido me ilustrou que daqui a 11 anos eu ainda vou ter 35 e 11 é muito e 35 é muito pouco. Sendo assim , livre de todos os meus próprios preconceitos, medos e a famosíssima PREGUIÇA eu sei e sempre soube o que quis ser e vou ser : JORNALISTA. Tá que é o que todomundonomundoenaadolecência quer ser , mas eu quero mesmo , por motivos bem particulares, tem a ver com a minha infância, com a minha formação, com meu pai com o jornal de domingo ou de qualquer dia nas mãos e todo o comentário que seguia depois, o fato dos meus pais serem ultra politizados, eu cresci numa aura de valorização a informação, a cultura, o estudo , as artes, crescemos apaixonados , pelo menos eu , pelo universo que unia a família. Sempre amei o ler e o escrever, mas quero entender cada vez mais, escrever cada vez mais e de preferência melhor e levar qualquer informação que eu obtenha para outras pessoas. Eu sei que não é fácil trabalhar nisso principalmente aqui onde moro e pretendo ficar, quando se consegue emprego o salário é de fome, que existem vários no mundo tipo advogados ( bacharéis em direito) , mas e dai , estou despida do que é empecilho, agora sobrou só a vontade sem o medo de futuras frustrações. Vou tentar e é isso. Achei talvez o que me faltava , motivação, coragem, esperança, a alegria que eu tinha aos 16.
Os 3 planos se de fato realizados vão me mudar um bocado, um crescimento claro. Porque quem fica parado é poste não é?
Ah e me pediram nos comments fotinhos do meu casório, mas eu ainda não tenho as fotos do casório, não foi aquela coisa de vestir de noiva e ter fotos com poses ” de casório”, mas há fotos e assim que eu tiver coloco uma por aqui.
No mais, é aguardar o resultado das minhas metas para 2005. Acho que vou listá-las em breve.

Deixe um Comentário