Sweet July

Eu a amei desde o primeiro dia, quando ela ainda não era minha. Amei seu corpo que eu apertava, o cheiro doce, seu jeitão fechado. Amei o mau-humor, a independência e a extrema fragilidade, o medo por trás da raiva. Quis cuidar, quis proteger. Protegi, cuidei, amei. Ela é minha amiga, minha menina que me entende como só ela e que a cada dia amo mais, e amei mais que neste fim de semana.Alias foi um final de semana perfeito.Eu ,minha menina e meu menino num lugar maravilhoso, com todos os detalhes que quero pra minha vida.E eu não queria viajar de jeito nenhum, gritei, chorei, bati o pé que não ia.Fui.E não queria sair mais de lá.Briguei comigo mesma por lá ,eu sou às vezes tão paradoxal. Mutante e constante, uma lua: brilhante, cheia de luz; escondida e circunspecta. Sou segura e cheia de energia agora e daqui a pouco pequena e frágil, escondida. Fico lisa com o passar dos dias, como pedra de um rio: a água passa e lava tudo, eu fecho os meus não-olhos de pedra e me deixo levar e ficar. Eu quero parar de resistir à corrente, de bater nas outras pedras. Me lasquei muito, as cicatrizes ainda estão aqui, ásperas. Os braços soltos pela água transparente, o corpo leve e pesado de pedra, eu quero que água me lave, e leve.Expus meus amores a uma noite insolita , criada pela perversidade da minha mente, pelas minhas inseguranças e pelo meu ciume.Uma noite Matrix.Foram dias estranhos e divertidos, e da noite Matrix ficou mais do que “as marcas da batalha”. Viramos família, eu ela e meu amor.Falando nele (pra váriar) hoje me despedi dele lentamente, como quem sobe na montanha-russa, os trilhos fazendo barulho, tec-tec-tec. Devagar eu subia, levando meu amor no colo. Repetia, olhando os olhos dele, que o amava mais que nunca, na verdade eu não disse nada mas acho muito que ele entendeu.A gente brigou muito no fim de semana, eu chorei potes ,por ele, por mim, por nós, com ele.Mas a gente não briga por falta de amor, briga por saudade (ou de sono).Mas ele estava por perto e comigo e a gente se entendeu e eu senti o calor do corpo, os olhos olhando os meus.Nunca tive tanta vontade de alguma coisa, tanta certeza de que sei o que eu quero.
O feriado rendeu, passei com as pessoas que tanto amo Dodo, Cecils, Ivy e meu amor.Além de pais, irmão.
Estou feliz como nunca.Querendo que hoje seja pra sempre.Que todos os meses sejam este mês, que todos os dias sejam iguais ao feriado.

Deixe um Comentário